• Edson Pires

Envenenando a mente com pensamentos

Atualizado: 6 de Dez de 2020

Nossa vida é realmente feita de altos e baixos, e muitas vezes, acabamos envenenando a mente com pensamentos.



Por mais que nos esforcemos para nos manter motivados teremos que lidar com momentos tristezas, pois o meio em que vivemos, as coisas que vimos e ouvimos favorece o desenvolvimento de sentimentos que gostaríamos de não ter em nossa mente.

As vezes tudo o que temos para nos agarrar é o ressentimento, o ódio e a culpa.


Há pessoas que estão habituadas, na verdade, se tornaram viciadas em lembranças e sentimentos que dá um verdadeiro soco no estomago diariamente, senão várias vezes ao dia, minando e destruindo sua autoestima, a alegria de viver e impedindo de usufruir o presente que pode ser maravilhoso.


Pensamentos e sentimentos destrutivos


Pessoas com esses pensamentos, estão ocupadas demais com seus sentimentos destrutivos que nem percebem as horas, o dia, a vida passar. Pessoas que permitem que suas lembranças ruins e experiencias malfadadas dominem seus pensamentos.


Pode ser um negócio mal feito, um relacionamento malsucedido, problemas com os pais ou parentes, frustrações, decepções e traumas tão valorizados que acabam por ocupar boa parte dos seus pensamentos.


Invadido por sentimentos ruins


Durante a elaboração de um projeto ou quando tenta se concentrar em alguma coisa importante é invadido por pensamentos e sentimentos ruins que acaba perdendo a paciência e desistindo do que pretendia fazer, pois não encontra paz ou inspiração suficiente para continuar.


Sendo professor por mais de quinze anos, dos quais 10 deles em sala de aula, percebi alguns padrões de comportamento dos alunos durante a realização das tarefas.

Alguns se concentram na atividade e com bastante interesse logo concluem e em alguns casos até se propõem a ajudar os colegas.


Outros porem se distraem conversando com os colegas e demoram um pouco mais para concluir a atividade. Há ainda outros que se desligam da realidade em que está e passam a um estado que eu denominei de “viagem”.


Os alunos que costumam entrar nesse estado, geralmente ficam com o olhar perdido, por algum tempo, e quando chamado a atenção e convidado a retomar a atividade no caderno geralmente demoram um pouco, pois estavam completamente ausentes.

Quando perguntado sobre o que estavam pensando, enquanto estavam perdidos em sua “viagem”, vem a resposta mais simples: “não estava pensando em nada não”, porém quando insisto um pouco mais descubro que estavam pensando em problemas familiares como: morte de algum parente, problemas financeiros, desavenças, abusos, etc.


Outra característica na vida de pessoas atormentadas por pensamentos destrutivos é que geralmente, não se sentem merecedoras do sucesso naquilo a que se propôs a realizar ou construir.

A mente está embebida e saturada pensamentos negativos e destrutivos como vingança, ressentimento e impotência, pois não será possível modificar o passado e por falta de consciência desse fato, continua sua trajetória de fracassos sem compreender que esses pensamentos estão gerando sentimentos de não merecimento, incapacidade, insegurança e pessimismo.


A pessoa realmente acredita que nasceu com uma sina, um carma, uma maldição e que suas vidas nunca poderão ser diferentes daquilo que foi ou que é atualmente. Pessoas com esse padrão de pensamento tem grande propensão a auto piedade, vitimização, depressão e até pensa em suicídio, por não enxergar sentido ou proposito para sua existência.


Processo bioquímico


Os seus pensamentos estão de fato envenenando sua mente, com doses diárias de toxinas que a estão destruindo literalmente, mas por ser um vício, criou-se uma necessidade, um processo bioquímico onde os neurônios criaram sinapses fortemente estabelecidas, ou seja, sua mente foi condicionada a pensar sempre na mesma coisa.


E por pensar todos os dias, acaba tornando-se um hábito tão arraigado que a pessoa realmente sente falta quando não pensa naquilo, quando não sofre, diariamente, por alguns momentos pensando naquele fato, criando novas versões para que a memória continue viva, talvez na vã esperança de que tenha uma oportunidade de mudar os resultados imaginando como poderia ter sido diferente se tivesse tomado uma atitude diferente naquele momento.


Não se pode mudar o passado e isso é um fato. A realidade é que não vamos esquecer do acontecimento que nos traz tantos maus sentimentos. O que podemos fazer é substituir esses pensamentos.


A psicologia tem evoluído de forma científica, possibilitando resultados mensuráveis através da programação neurolinguística e de instrumentos que pode medir as reações do cérebro enquanto a pessoa tem pensamentos ou sentimentos.

Contate-nos

Grau de Escolaridade